Histórico

Ajustar tamanho da fonte

O local onde hoje está localizado o município de Pinhal era ponto de passagem obrigatório de tropeiros que se dirigiam a Região Nonoai à Chapecó vindos dos “Campos da Palmeira”. Alguns dos vales cobertos de mata, onde a madeira de lei era abundante e a caça fácil e farta.

Tem-se notícia que já por volta de 1900, Antônio de Gasperin aqui se estabeleceu com armazém de secos e molhados, a primeira “Venda” que fornecia aos tropeiros e aos poucos moradores das redondezas mantimentos, ferramentas, tecidos, querosene além de outros produtos adquirindo deles os excedentes de sua produção agrícola de subsistência.

A proximidade com a cidade de Palmeira das Missões contribuiu para que, logo após o fim das lutas políticas se desenvolvesse a imigração e início da colonização regular da Região. As primeiras famílias oriundas da Região Colonial Italiana iniciaram o desbravamento do sertão e estabeleceram as primeiras lavouras diversificadas e a criação de suínos, sendo introduzido também o cultivo do Trigo.

A origem do nome “Pinhal” remonta o início da colonização dessa Região. Os imigrantes, à falta de outra indicação encontraram a denominação do Lajeado Pinhal nos Registros da Inspetoria de terras, provavelmente devido a que, segundo alguns, o mesmo tinha sua nascente junto a um grupo de araucárias perto da localidade de Alto Paraíso ou, segundo outros, a um bosque de pinheiros na mata próxima à barra deste, junto ao Rio Várzea, passando a denominar o local desde então de “Vila do Pinhal”.

Pinhal foi se desenvolvendo com o passar do tempo e aumentando sua vontade de tornar-se independente, político e administrativamente. Em 1987 intensificou-se a luta pela emancipação elegendo uma Comissão Emancipacionista e, em 20 de dezembro de 1987 realizou-se o Plebiscito, onde a comunidade optou por emancipar-se. Na data de 29 de Abril de 1988, através da Lei Estadual n.º 8.577, é criado o Município de Pinhal.